sábado, 26 de março de 2011

Resumo do lívro ''O Guaraní''

A história do Livro “O Guarani”  passa-se no estado da Paraíba, as margens do Rio Paquequer, próximo a esse rio morava a nobre família de D. Antônio de Mariz, um fidalgo Português que era leal ao seu país. Casado com D. Lauriana tinha dois filhos: Dom Diogo de Mariz e Cecília. Morava também nesta casa Isabel, filha de D. Antônio com uma índia, D. Álvaro, um nobre cavalheiro, Aires Gomes, e os ajudantes de D. Antônio.
Isabel, andava muito com Cecília, as duas sempre estavam juntas, e em um certo dia ela contou-lhe sobre seu amor por Álvaro, a partir daí Cecília deixou o caminho livre a para sua “Irmã” e apesar de Álvaro sentir uma atração por Isabel ele acaba fazendo um juramento a D. Antônio que ele se casaria com Cecília.
Peri um Índio, que salvara a vida da filha do casal passou a freqüentar a casa e atender todos os pedidos de Ceci, ele deixou sua tribo e sua família. Entre estas pessoas que conviviam com a família existia um estrangeiro cujo nome era Loredano, que na verdade viera atrás de um tesouro, e que sonhava em casar-se com Cecília.
Em uma caçada, D. Diogo mata uma índia da tribo dos Aimorés e então  toda a família fica ameaçada pelo que aconteceu. A tribo jura vingança contra todos os moradores da casa através do assassinato de Cecília. Com isso a casa é assediada por diversos perigos. Dom Antônio prevendo o pior manda seu filho ao Rio de Janeiro para procurar ajuda.
Loredano se amotina com os capangas e planeja matar toda a família, exceto Cecília. Seu plano não foi possível porque os Aimorés chegam para a vingança. Com isso a família fica isolada na sala principal da casa e os capangas em outro cômodo da residência. Nesse alvoroço Álvaro declara seu amor perante Isabel, mas fica com receio de quebrar sua palavra.
Devido a ameaça, Peri teve uma idéia e resolve acabar ele mesmo com os Aimorés e os Capangas e salvar a sua senhora. Para isso era necessário a sua morte. Não pensou duas vezes, colocou veneno nos suprimentos dos causadores do motim, passou no corpo e também tomou desse veneno. Feito isso entregou-se ao Aimorés. Ele sabia que eles eram Antropófagos, e que ao ser morto todos os índios também morreriam.
O seu plano não foi concretizado, porque D. Álvaro, a mando de D. Antônio e de Ceci foi salvá-lo. Peri para não morrer do veneno que ingeriu foi buscar na mata um antídoto natural. Na volta encontrou D. Álvaro ferido, mas este não conseguiu sobreviver. Ao chegar na casa, Pei o levou até o quarto de Isabel, esta devido o seu grande amor acaba suicidando-se.
O clima esquenta, os Aimorés começam a lançar flechas de fogo em direção a casa. Dom Antônio vendo que não havia mais esperanças de salvação, pede a Peri para se tornar cristão e salvar Ceci.
Feito isso, Peri sai rumo as margens do Paquequer com Cecília em seus braços. Já no rio, ouve uma explosão vinda da casa e uma bola de fogo saindo da colina.
Já ao amanhecer, Cecília acorda e Peri lhe conta tudo o que havia se passado. No início ela se revolta, queria morrer junto a seu pai e sua mãe. Após uma pequena reflexão, vê que estava ao lado da pessoa que lhe salvara a vida pela terceira vez. Lembrou-se de todos os pedidos que fez a Peri e que este os cumpriu com muito amor, também lembrou que Peri fazia de tudo para arrancar um simples sorriso de seu rosto. Salvou-lhe de uma pedra, de uma flecha dos Aimorés e da explosão da casa.
No entanto queria ficar com Peri, só que ele tinha prometido ao já falecido D. Antônio que a levaria para o Rio de Janeiro junto a seu irmão D. Diogo.Então começaram uma caminhada pela floresta e de repente ocorre uma enchente. Eles sobem rápido para o topo de uma palmeira, mas a água continua a subir e a palmeira acaba sumindo no horizonte.

4 comentários: